quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Como é que se Esquece Alguém que se Ama?

Como é que se esquece alguém que se ama? Como é que se esquece alguém que nos faz falta e que nos custa mais lembrar que viver? Quando alguém se vai embora de repente como é que se faz para ficar? Quando alguém morre, quando alguém se separa - como é que se faz quando a pessoa de quem se precisa já lá não está?

As pessoas têm de morrer; os amores de acabar. As pessoas têm de partir, os sítios têm de ficar longe uns dos outros, os tempos têm de mudar Sim, mas como se faz? Como se esquece? Devagar. É preciso esquecer devagar. Se uma pessoa tenta esquecer-se de repente, a outra pode ficar-lhe para sempre. Podem pôr-se processos e acções de despejo a quem se tem no coração, fazer os maiores escarcéus, entrar nas maiores peixeiradas, mas não se podem despejar de repente. Elas não saem de lá. Estúpidas! É preciso aguentar. Já ninguém está para isso, mas é preciso aguentar. A primeira parte de qualquer cura é aceitar-se que se está doente. É preciso paciência. O pior é que vivemos tempos imediatos em que já ninguém aguenta nada. Ninguém aguenta a dor. De cabeça ou do coração. Ninguém aguenta estar triste. Ninguém aguenta estar sozinho. Tomam-se conselhos e comprimidos. Procuram-se escapes e alternativas. Mas a tristeza só há-de passar entristecendo-se. Não se pode esquecer alguem antes de terminar de lembrá-lo. Quem procura evitar o luto, prolonga-o no tempo e desonra-o na alma. A saudade é uma dor que pode passar depois de devidamente doída, devidamente honrada. É uma dor que é preciso aceitar, primeiro, aceitar.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Luz branca*

Muito muda numa década. Ora deixem cá ver... Fez este ano uma década que comprei casa, que as nossas três "meninas" começaram a fazer parte da família, que me casei.

Fez este ano uma década que fui na minha última grande viagem (precisamente a lua de mel).

Há uma década trabalhava em Lisboa e vivia há pouco tempo em Lisboa, e achava que ir estar na editora onde comecei, a trabalhar com aquelas mesmas pessoas, até me reformar.

Infelizmente, nesta década perdi gente a mais: uns mais próximos, outros nem tanto, mas de todos me lembro, de todos sinto saudades.
.'(

Há uma década eu ainda não era mãe e ser mãe foi a maior aventura consciente da minha vida adulta (viver não conta).
:D

Há uma década, no mês de Julho, entrei assim na igreja e também no copo de água:
e dançava assim a nossa primeira dança de casados:
(imaginai uma moça a chorar baba e ranho enquanto ouvia a música; e sabei que ainda não lhe devolvi o CD – desculpa, Um dia a casa vem abaixo)

Há uma década que os Corrs não fazem música juntos. Fizeram músicas para as suas carreiras a solo, lançaram discos, houve concertos; alguns dedicaram-se à família: houve casamento e nascimentos. E funerais.
Há uma década que os Corrs não fazem faziam música juntos.

Muito muda numa década. Mas não os Corrs.
(E já agora, se quiserem lembrar-se de mim no Natal, juntem o dinheiro das velas e ofereçam-me antes isto. A gerência agradece)

*White Light é o nome do novo álbum